Trabalhando funis de conversão com Facebook Ads

Vou fugir novamente um pouco das publicações aqui do Blog que são bem técnicas e falar um pouco mais de estratégias, já faz algum tempo que venho tentando trabalhar os anúncios no Facebook otimizando os anúncios, além da parte técnica e trabalhando mais estratégias (afinal ferramentas vem e vão, as estratégias podem ser mantidas e adaptadas mais facilmente), uma técnica muito conhecida (que aprendi quando trabalhei um pouco com e-mail marketing) foi os funis de conversão e automação.

Como funciona um funil de vendas?

O Funil de Conversão/Vendas é basicamente um fluxo que você vai filtrando seus potenciais clientes a medida que o interesse pela sua marca/produto cresce.

"[Funil de conversão] Mercado alvo > Visitantes > Prospects > Possíveis compradores > Compradores > Clientes
Exemplo de um funil de vendas.
Neste exemplo podemos ver como funciona um Funil de Vendas tradicional, onde no primeiro momento ‘atacamos’ o mercado alvo e depois vamos reduzindo o número de interessados até chegar na conversão em si.

Trabalhando desta forma conseguimos fazer um caminho para que nossos futuros clientes sigam e conheçam nossos produtos/serviços de uma forma que acompanhamos o processo de compra de nossos clientes mostrando o conteúdo certo no momento certo, fazendo com que assim aumentemos nossa taxa de conversão.

Como trabalhar um funil de conversão através de Facebook Ads?

Irei utilizar a imagem acima para melhor ilustrar como costumo trabalhar um funil de conversão com os anúncios do Facebook (lembrando que o ideal é trabalhar essa estratégia alinhada com outras ferramentas, como blog, newsletter e outros pontos de contato da marca).

Para começar você precisa entender MUITO sobre o processo de compra do seu cliente e também definir personas e interesses do seu público.

Atacando mercado alvo

Primeiro passo é entender quem é seu público alvo, definir personas e interesses em comum, fazendo isto você pode começar a salvar seus públicos no Audience Insights (acesse aqui, nessa ferramenta você também pode entender melhor sobre o público do seu site/página/mailing).

Nesta primeira etapa é importante criar anúncios para as pessoas que já conhecem sua marca (visitantes do site/blog, assinantes de newsletter e clientes ativos) e também construir uma base com novas pessoas (públicos de interesse), para curtirem sua página (claro, negativando o público que já curte sua página).

Utilizando o fator social

Para os públicos de interesse sugiro utilizar uma segmentação avançada com amigos de fãs, pois assim você cria o fator social no seu anúncio, mostrando que os amigos do seu potencial cliente já confiam na sua marca.

Talvez este público seja pequeno, porém a medida que você vai conquistando novos fãs este público vai aumentando exponencialmente.

[Facebook Ads] Atingindo amigos de fãs
Através do fator social você cria relevância para quem está vendo seu anúncio.

Fãs (Visitantes)

Você já está construindo uma base (dentro do Facebook) de pessoas que estão interessadas em saber mais sobre a sua marca, e agora o que fazer com esse público?

Mostre um pouco mais sobre o que você faz, crie campanhas de engajamento (criando anúncios para os conteúdos que você cria), também campanhas para novos materiais (Blog/E-books/Newsletter/entre outros), dessa forma você alimenta novamente sua base.

Claro que nesta etapa também é valido criar anúncios de vendas, eles vão ter um CPA (Custo por ação) menor que anunciar para um público aberto, porém ainda será mais caro caso você pegue esse possível cliente no final do funil. Tenha em mente que esta ainda não é a etapa de real conversão do seu funil, ele simplesmente pode acontecer.

Prospects (Clientes em potencial)

Nesta etapa seus fãs já sabem quem você é, já sabem o que você é, mas eles também estão pesquisando seus concorrentes (por isso a importância da integração, aqui com mecanismos de pesquisa) e esta é a hora de mostrar seus diferenciais.

Promova artigos que mostre por que a pessoa deve comprar de você e não de seu concorrente (trabalhe integrado com a equipe de conteúdo, Facebook / Blog), e não esqueça nesse ponto é possível que você já tenha uma vantagem de seus concorrentes (eles já sabem quem é você e o que você faz) e isso faz com que seu custo baixe ainda mais, mas não esqueça seu concorrente pode estar seguindo os mesmos passos.

Por isso relembro, é muito importante você estar alinhado com a toda a equipe para criar trazer conteúdo que interessa para seus futuros clientes e criar experiências que interessam.

Possíveis compradores

Hora de reativar seu newsletter, sua base de fãs, seus visitantantes! Porém selecione aqueles que já estão numa base de leads, por exemplo pessoas que solicitaram um orçamento, visitaram a página do serviço/produto ou visitaram posts no blog que você considera importante para a conversão (que explicam o seu serviço, mostram o seus diferenciais) e/ou colocaram seu produto no carrinho de compras (através de Dynamic Product Ads) e não finalizaram.

Compradores / Clientes

SUCESSO! Cliente adquirido, agora não precisa fazer mais nada! (mentira!)

Você investiu uma boa verba para trazer seu cliente para você, ele já sabe quem é você, já sabe o que você faz e o mais importante, ele já confia em você, por que não usar esse cliente para trazer mais clientes e fazer ele comprar mais?

É neste ponto que muitas empresas pecam, elas esquecem de dar um atendimento para as pessoas que já compraram, pecam no pós-venda (novamente, mantenha-se alinhado com toda a comunicação da empresa), sua empresa envia um e-mail para os clientes que finalizaram a compra? Por que não fazer uma campanha para as pessoas que não abriram o e-mail (através de uma Custom Audience), ou anúncios para o aniversário do seus clientes (sim existe esa segmentação no próprio Facebook) ou apenas fazer um Dark Post de agradecimento por se tornar um cliente da sua empresa.

Faça com que seu cliente se sinta importante, afinal ele é MUITO importante para você, ele trabalhou duro durante um mês para que pudesse comprar de você.

Afinal já é um jargão e amplamente conhecido que é mais barato manter um cliente ativo do que captar novos clientes (e é utilizando essa premissa que utilizamos o Funil de Vendas).

Outro ponto muito interessante para se trabalhar com os seus clientes ativos é ativar pesquisas de satisfação e colher depoimentos da experiência deles com a sua marca (por que não fazer anúncios para a parte de reviews da sua página no Facebook?)

Analisando os resultados do Funil de Conversão

Hora de analisar o ROI (Return on Investiment – Retorno sobre investimento) do seu funil de conversão, o que muitos irão fazer é calcular sobre o valor de investimento em cima da campanha de vendas (Objetivo de conversão) ignorando todo restante do investimento para trazer as pessoas para dentro desse funil de conversão, então não esqueça de nomear as campanhas de forma que você consiga mensurar o investimento total e claro o retorno total dessa campanha (e não leve em consideração apenas os dados do pixel de conversão do Facebook, utilize uma ferramenta de web analytics e bata com os números com o setor de vendas), através do Funil de Vendas é possível que você tenha um custo por aquisição menor que fazendo anúncios abertos e com certeza terá clientes mais fiéis a sua marca e produtos.

Você já utiliza funis de conversão/vendas como estratégia de vendas?
Comente como você utiliza e o que acrescentaria nas estratégias que compartilhei neste post.

Se você gostou deste post você também pode conhecer o Labs, lá irei compartilhar conteúdos exclusivos para os usuários que estiverem inscritos.

Inscreva-se:

Agora eu moro em São Paulo, o que aconteceu?

Disclaimer: Este artigo vai fugir um pouco da temática que trago em outras publicações desse blog.

Há exatos 4 anos escrevi o primeiro post neste blog que “bombou”, o seu nome era “Não moro em São Paulo, e agora #COMOFAZ?“, foi uma publicação em que mostrava que não era necessário estar em uma grande capital para querer aprender sobre algo que se gosta.

Naquela época ouvi uma colega de sala ‘reclamar’ para um professor que era difícil a pessoa se especializar morando fora de São Paulo pois não havia cursos, então mostrei como fui atrás de conteúdo e conhecimento para poder me capacitar, com várias fontes de conteúdo que tinha, desde blogs, slideshares, perfis no twitter, grupos no Facebook.

Coincidentemente hoje estou morando em São Paulo, trabalhando em uma agência que admirava, que acompanhava o conteúdo, e sempre pensei:

Um dia quero trabalhar na MestreSEO, vou ser capacitado para fazer parte dessa equipe.

E hoje depois de vários artigos lidos, escritos, muitos testes e acredito que muito empenho, realizei um objetivo que tinha.

E hoje teve festa junina na Mestre! E o time está crescendo :)

Posted by Fábio Ricotta on Sexta, 19 de junho de 2015

Então, se pudesse dar uma dica a quem está começando é que não desanime com a falta de oportunidades na sua região, por menor que ela seja.

Vá lá, crie as oportunidades que você quer ter, pela falta de eventos sobre o tema em minha cidade natal eu organizei dois (Social Media Day e Foursquare Day), com a falta de espaços para conversar sobre o mercado local eu criei o grupo Digitais SC, com a falta de profissionais criando conteúdo eu criei este blog.

Quando fiz isso tudo não sabia onde iria levar, mas hoje eu sei o que cada um desses passos trouxe de benefício para meu desenvolvimento pessoal e profissional.

Vá atrás do que você tem vontade e não de desculpas para si mesmo, o conteúdo existe basta você ir atrás. E depois você pode agradecer todo o conteúdo que você recebeu da comunidade criando mais conteúdo, não tenha medo de mostrar o que você sabe, isso irá apenas agregar mais para você.

Não vou listar todas as pessoas e empresas que quero agradecer, pois com certeza iria esquecer várias, mas obrigado a essa comunidade que compartilha conteúdo para criar um mercado melhor para todos nós.

 

Como criar uma Business Manager no Facebook

Para quem ainda não conhece a Business Manager (BM) é uma ferramenta do Facebook que serve para auxiliar empresas a gerenciar as páginas, contas de anúncios, aplicativos e compartilhar acessos com agências e fornecedores.

Esta ferramenta foi anunciada (Facebook anuncia o lançamento oficial da Business Manager, Proxxima) ano passado e já é utilizada por agências, clientes e profissionais autônomos.

Neste artigo irei mostrar um passo-a-passo de como criar um Gerenciador de Negócios (BM) para a sua empresa, confira.

Criando o seu Gerenciador de Negócios

Para começar você deve acessar a página de criação da Business Manager do Facebook (Não há necessidade de ter uma conta no Facebook, porém é necessário haver uma página).

Tela inicial do Gerenciador de Negócios.
Nesta primeira tela é mostrado o que é necessário para se criar o seu Gerenciador de Negócios (BM).

Basta clicar em próximo que o Facebook irá abrir um questionário, onde você responderá informações básicas sobre a sua empresa, como o tipo de uso (Agência, Anunciante ou Desenvolvedor), número de pessoas que terão acesso ao BM e quantas páginas, aplicativos e contas de anúncios.

Informações sobre a empresa para criar a BM.
Esta é uma ferramenta gratuita do Facebook, independente do tamanho da sua empresa.

Agora precisamos colocar o nome da empresa, definir a página principal da BM e caso você já tenha um Gerente de Contas no Facebook colocar o e-mail dele.

Informações sobre a sua empresa no Gerenciador de Negócios do Facebook

Pronto, sua empresa está com uma BM , agora você precisa apenas preencher as informações do seu perfil.

Definindo seu perfil dentro do Gerenciador de Negócios do Facebook.

Agora sim, você terá acesso total ao gerenciador de negócios do Facebook, podendo adicionar novas pessoas, agências, páginas, contas de anúncios, aplicativos, entre outras funções que estão disponíveis dentro da BM.

Você já está utilizando esta ferramenta? Quais funções você mais gosta? Deixe nos comentários.

Este é o primeiro de uma série de posts aqui no blog sobre o Gerenciador de Negócios do Facebook, acompanhe o blog para mais novidades.

Veja estes slides do Facebook sobre a Business Manager:

Como salvar seu público para Facebook Ads

Você sempre está criando anúncios para públicos parecidos, sempre refinando ele com mais interesses, até que chega um ponto que você já tem algo em torno de 100 variáveis para entregar seu anúncio para aquele público e você sempre que selecionar aqueles mesmos pontos. Pois bem, você não precisa, com apenas dois cliques você já tem todas as segmentações anteriores.

Como salvar o público de um anúncio?

Primeiro passo, você precisa abrir o Power Editor, aquela ferramenta que assusta na primeira impressão, mas depois que você se adapta ela te salva a vida.

Acesse o seu PE (Power Editor) aqui,  e selecione a campanha (e grupo de anúncios que você deseja salvar o público.

Selecionando o grupo de anúncios que você deseja salvar a segmentação, basta clicar no ícone para salvar aquela audiência.

Salvar audiência no Facebook Ads.

Pronto, sua audiência está salva, e você pode usar ela sempre que precisar. Não esqueça de renomear com uma nomenclatura que torne fácil de reconhecer aquele público.

Público para Facebook Ads salvo.

Agora só precisamos entender como inserir essa audiência em um grupo de anúncios que estamos fazendo.

Como criar um anúncio com um público salvo

Pronto, temos uma audiência salva, agora como utilizar essa segmentação em novos anúncios?

Muito fácil, crie o grupo de anúncios novos, e ao invés de selecionar todas as opções novamente, basta colocar o nome da audiência no primeiro campo, Saved Target Group.

Selecionando público salvo para Facebook Ads.

Selecionado seu público, ele irá carregar toda a segmentação que você já fez anteriormente, e você pode combinar essa audiência com Custom Audiences (veja como criar um para o seu site aqui).

Pronto, agora você pode utilizar este tempo que está economizando para criar anúncios mais relevantes para seu público.

Este post surgiu a partir da dúvida do Eduardo, mande a sua dúvida na página: KaueKGG.com.br

 

Facebook Ads: Multi-produto e utilização criativa

Já faz quase um mês que surgiu pela primeira vez a opção de multi-produtos no Power Editor do Facebook, a primeira notícia que vi sobre a liberação (em larga escala) foi no grupo Facebook Ads – Brasil através deste post do Pedro Brito:Anúncio do Multi-produto por Pedro Brito no grupo Facebook Ads - Brasil.

E como logo explicou o grande Fábio Prado lançou este post onde explica como funciona esta nova forma de anúncio (juntamente com o Anúncio Dinâmico):

Como ele mesmo explica, os resultados são ótimo, como relatado pelo e-commerce Nomorerack, que aumentou sua taxa de cliques em 42% e o custo por aquisição reduzir em até 45%.

Utilizações criativas para o Multi-produto.

Nesta última quinta (26/02) estava conversando com um amigo sobre esta nova forma de anúncio, e comentei em utilizar este novo produto como forma de contar histórias, à princípio cada “produto” seria uma história diferente, um capítulo.

Porém hoje em uma das voltas pelos grupos interessantes vi que o Willian Renan havia criado um anúncio semelhante e compartilhou os resultados lá no Facebook Ads – Brasil.

Segundo o próprio Willian o Conta Azul conseguiu aumentar em quase 230% (DUZENTOS E TRINTA!!) a taxa de cliques e um custo por clique 69% menor, isto comparado à anúncios anteriores.

Isto serve para vermos a importância de se contar histórias, as pessoas não querem mais se conectar apenas à marcas e/ou produtos elas querem se sentirem parte de uma história.

Agora é com você, quais outras formas de anúncios criativos usando o multi-produto vocês já viram ou fizeram?
Deixe nos comentários.

Saiba mais neste post da AdResults

Facebook não matou o alcance orgânico, seu conteúdo que não agrada.

Nesta terça feira surgiu uma matéria um tanto quanto incompleta no Mercado E-Commerce dizendo que o Facebook havia MATADO (é tão chato esse pessoal que mata as coisas antes delas morrerem) o alcance orgânico.

Leiam a matéria completa na imagem: Facebook matou o alcance orgânico

Fonte: Mercado E-commerce | Cache no Google.

É notável que o Facebook tem reduzido o alcance orgânico, alguns dizem que é para vender mais anúncios e outros (como eu) dizem que é por não haver espaço para todos no feed de notícias, muita concorrência quem ganha são os melhores.

Em teoria o que o edge rank faz é mostrar o conteúdo que ele acha que mais vai agradar seus usuários, uma plataforma baseada no usuário (e não nas empresas).

Já escrevi aqui, como o Facebook privilegia histórias que sejam relevantes para seus usuários, análise suas publicações, elas interessam para seus seguidores? Ou são apenas para vender seus produtos/serviços?

Nesta notícia ele usa como base apenas um post de uma página, seria como pegar uma pessoa que morreu ao beber água e dizer “água mata”.
Ou como eu pegar este post de uma página que administro e dizer que o Facebook está entregando minhas publicações para mais pessoas.
Publicação com alto alcance.

Esta publicação foi feita em uma página que possui cerca de 9 mil fãs, é justo eu fazer um post aqui falando isto? Não, claro que não, foi um caso isolado, de um conteúdo que os seguidores desta página queriam.

Não coloque a culpa na ferramenta se você não faz o seu trabalho bem feito, pesquise, análise e entenda.

 

O Temo Mori (Social Media Cast) fez uma rápida análise da página da Mercardo E-commerce e fez algumas considerações no grupo Facebook Ads – Brasil:

Vcs chegaram a olhar na página do Mercado E-Commerce? Ficam dias, sem postar, depois semanas, depois fazem 3 posts em 30min, dae mais um dia sem postar, postam a “postagem teste” e depois de 1h fazem uma nova publicação. No minimo sem parâmetro de comparação para “deduzir” a redução do alcance.

Outro comentário interessante que surgiu foi o do João Paulo, WebingPro, no grupo Digitais SC:

O grande problema é que as pessoas não entendem que devem procurar o tipo de conteúdo que o seu público quer consumir e, muitas vezes, esse conteúdo não é ficar falando sobre sua empresa ou sobre suas promoções, pelo contrário, falar sobre o seu mercado.

Na WebingPro nós paramos de investir em anúncios quando chegamos em 900 likes. Hoje só postamos os posts do nosso blog, que em pouco mais de 5 meses já teve mais de 4k de views únicos, além de 300 likes 100% orgânicos no Facebook e novos clientes

Enquanto as empresas não perceberem que elas devem compartilhar conteúdo relevante e inteligente com os seus consumidores, estamos “condenados” a ler esse tipo de coisa (Facebook matou o alcance orgânico de vez) por ai.

É lógico que houve uma drástica queda no orgânico, mas ainda assim, “o seu conteúdo que é chato mesmo!” hahahaha

Até mesmo o Jon Loomer resolveu escrever sobre este tema, que parece ter surgido nos Estados Unidos. Muito bem lembrado por ele, o que aconteceu foi que o Facebook reduziu o alcance de publicações consideradas promocionais.
Leia aqui.

Nesta última sexta houve a gravação do Social Media Cast e a pauta principal foi a “Não morte do alcance orgânico”,  ouça no player abaixo a opinião de Temo Mori, Alaina Paisan e Samuel Gatti.

 

Editado
Post que saiu agora pela manhã na página do Mercado E-commerce:

 

Importância do e-mail e plataformas proprias

Este texto foi escrito no celular, em percurso, caso encontre algum erro deixe nos comentários que irei corrigir.
O e-mail vem sendo muito subestimado nos últimos anos no mix de marketing digital, tudo isso devido ao grande crescimento das mídias sociais.
Porém vendo as entrevistas que fiz e acompanhando o movimento do mercado como um todo estamos vendo a importância de termos plataformas próprias de comunicação, de não precisarmos mais nos submeter as regras do “dono da bola”, já faz algum tempo que é possível ver críticas as constantes mudanças de regras do Facebook, a pouca audiência de outras redes, mas também foi possível perceber a migração do conteúdo de plataformas próprias para plataformas de terceiros.
Neste post vou tentar trazer alguns pontos que considero relevantes do por que devemos investir mais em plataformas (e banco de dados) próprias e por que isto vai ser muito utilizado em 2015 (e crescer cada vez mais).

Minha bola, minhas regras.

A principal vantagem de se trabalhar preferencialmente em plataformas é não depender da regra de terceiros, você faz as suas regras, claro sempre ouvindo o que seus clientes/consumidores (do produto ou conteúdo) estão falando sobre o que você produz e a forma como ele é exibido.
Assim caso o Facebook mude suas regras, você não precisará correr desesperado para saber o que você precisa alterar em seu conteúdo. Mas lembre-se de sempre se manter atento as mudanças, pois em sua grande maioria elas são focadas no melhor para o usuário, ou seja, o melhor para o seu cliente.

Meu cliente, minhas informações

Você investe pesado todo mês em anúncios, seja online ou offline, mas no final sempre divulga sua pagina, seu Instagram ou seu Twitter, mas caso esses serviços acabem, você também perde o contato com esses clientes. Pois você investiu em uma plataforma de terceiro, enquanto seu site permanece no limbo, com poucos acessos e sem construir relevância para seus clientes. Não faz sentido não é?
Tenha controle das suas informações, assim não importa as plataformas que você usa para se comunicar com o seu cliente, você sempre terá como ter um contato com ele.
Um endereço de e-mail, vale muito mais do que um seguidor/fã, em conjunto com um número de telefone, ainda mais. Pois são formas de contato que podemos chamar de seguras, pois dificilmente sofrem alterações nas “regras”, e com estas informações e informações de consumo do seu cliente você pode fazer comunicações direcionadas para estes clientes.
Apesar das ferramentas de Social CRM, você consegue através de alguma plataforma social mandar uma mensagem apenas para seus clientes que não compram a mais de 30 dias? Acredito que não, não pelo menos sem o e-mail desta pessoa, pois este foi convencionado como uma identidade digital.

Utilizações de informações próprias

Se o que temos aqui não convenceu você que investir em uma plataforma, com certeza este item vai lhe convencer.
Quanto maior o número de informações que você possui, mais você sabe sobre seu cliente e melhor você pode se comunicar, podemos considerar que o e-mail é a identidade digital, por mais que o Facebook tente pegar este espaço, para que você crie uma conta lá ainda é preciso de um endereço de e-mail, serviço que ele não oferece.
Com as informações sendo suas, você pode fazer o que bem entender (desde que isso não seja anti-ético) e utilizar em qualquer plataforma, como por exemplo um Custom Audience no Facebook, uma plataforma de envio de e-mails e/ou SMS.
Você irá ditar onde você quer se comunicar com seu cliente.
Vamos dizer que o Facebook acabe amanhã, as pessoas deixem de utilizar, o algoritmo mude drasticamente, onde você para alcançar uma pessoa que seja, precisa investir em mídia e todo seu investimento até hoje foi na plataforma do Facebook, pronto, você acaba de perder toda a base de dados que construiu para sua marca (sim, é um cenário apocalítico), você precisará quase que começar do zero seus esforços de comunicação (digital) com seu cliente, por isso diversifique, atinja seu consumidor nos mais variados pontos de contato.
Não coloque todos os ovos em uma mesma cesta.
Principalmente se esta cesta for alugada de outra pessoa (empresa).

 

Métricas no Twitter

Bem, muita gente fala mal do alcance no Facebook e utiliza o Twitter para dar exemplo da entrega das publicações, então lembrei que há algum tempo o Twitter havia liberado sua plataforma de anúncios e claro também seu Analytics.

Então resolvi dar uma olhada nas métricas da minha conta, e também me dei conta que muita gente nem chega a olhar estas métricas.

Segue uma captura de tela de alguns números da minha conta (@KaueKGG):
Twitter Analytics - KaueKGG

 

Vale lembrar que este é um gráfico de Impressões e não de Alcance, ou seja ele conta quantas vezes um tweet foi impresso (carregado) na página e não quantas pessoas (únicas) visualizaram a publicação.

Para ter acesso à sua página de Analytics do Twitter é bem simples, basta entrar neste link, e ele irá lhe mostrar a página de Anúncios, para alterar para a página de métricas basta mudar no menu superior.

Alterando para Twitter Analytics - KaueKGG

Aqui você pode escolher a opção de Tweet activity onde irá aparecer as informações sobre cada tweet, sendo elas:

  • Impressões
    Número de vezes que usuários viram seu tweet (não sendo usuários únicos).
  • Engajamento
    Número de vezes que usuários interagiram com seu tweet, sendo qualquer tipo de clique, ou respostas, retweets, seguir ou favoritar.
  • Taxa de engajamento
    Número de engajamento dividido pelo número de impressões do tweet.

Há também outras informações interessantes como o número de cliques em links publicados, número de respostas e favoritos.

Outra página que pode ser interessante é a página sobre os seguidores, que pode ser acessada através do mesmo menu superior, porém na opção “Folllowers“.

Segue uma captura de tela com um resumo dos meus seguidores:
Seguidores no Twitter Analytics

Para os especialistas em Excel, estas informações podem ser baixadas em CSV (Comma-separated values).

Vocês já utilizavam esta plataforma? Quais usos dão para estes dados?
Deixe nos comentários.

O que foi 2014 e o que esperar de 2015

Bem, faz um tempo que escrevi a última vez por aqui (prometendo que iria escrever mais), porém estava revendo minhas publicações aqui e olhando como estava tudo muito técnico, focado em números, algo que quem me acompanha sabe que sou muito focado na construção de relacionamentos, e isso pouco se transmitia aqui.

Novas formas de segmentação orgânica do Facebook

Já faz algum tempo que escrevi um post para este mesmo blog comentando sobre as segmentações orgânicas para suas páginas, porém estas segmentações nos davam apenas opções demográficas.

Porém nesta última quinta (13/12/2014), o Facebook liberou novas opções de segmentação sendo elas por Interesse (assim como já existia nos anúncios) e a última, não sendo bem uma segmentação, é a por data limite de impressão, vamos explicar melhor, mas primeiro não esqueça de ativar a opção de segmentação orgânica para sua página.

Segmentação por interesse

Assim como já existe para os anúncios, esta forma de segmentar sua publicação apenas para as pessoas com interesses específicos, uma opção para fazer publicações diferentes para diferentes públicos.

Isto é ótimo para aumentar a sua taxa de engajamento, uma vez que você está enviando uma mensagem quase pessoa à pessoa, conversando diretamente com aquela pessoa.

Segmentação organica de publicação p

Segmentação para data limite do post

Você já viu quando está em seu feed de notícias, e aparece um post com vários comentários de amigos seus, que é uma promoção, mas quando você vê que já passou o prazo e não pode mais participar.

Através desta opção, sua marca não ira acabar frustando um cliente e/ou fã, pois aqui você define quando seu post não será mais exibido no feed de notícias.

Data limite para publicação.

“Mas assim vai reduzir ainda mais meu alcânce”

Quando mostrava a primeira vez estas segmentações orgânicas, a primeira coisa que reparavam eram no tamanho da audiência e que sempre que adicionavam uma nova segmentação aquele número descia.

Então foi preciso explicar, de uma forma bem simplificada, você é uma loja que aluga roupas para casamentos, você sempre faz a mesma publicação falando sobre vestidos e ternos, e enviava para homens e mulheres, porém nem todos recebiam, como algumas pesquisas mostram, apenas 10% do seu público recebe, e muitas vezes não interessa para ele saber do vestido ou ela do terno, então eles não interagem.

Mas agora você cria uma publicação falando apenas com os homens, sobre uma promoção para aluguel de ternos, e uma para mulher sobre os vestidos, isso criaria uma linguagem mais próxima, fazendo com que aumente o engajamento, e ela entregue para mais pessoas dentro daquele target que você definiu.

Histórias relevantes *VS* Anúncios

O artigo Histórias relevantes VS Anúncios  foi publicado originalmente no blog da vinte25.


 

Há alguns dias o Facebook lançou a notícia que iria punir as publicações consideradas promocionais reduzindo o alcance, foi o suficiente para os grupos no Facebook entrarem em desespero e começarem a reclamar.

“Não aguento tantas mudanças”.

Essa foi uma das grandes reclamações que ocorreram, devido as várias mudanças que o Facebook vem fazendo em seu algoritmo, o famoso EdgeRank. Alguns dizendo que o Facebook só faz essas mudanças para vender mais anúncios, o que poderia ser considerado normal, afinal eles são uma empresa, tem custos, funcionários e investidores que querem ver o retorno.

Porém não é apenas este o motivo, a plataforma quer oferecer os melhores conteúdos para seus usuários, durante o último vimos algumas mudanças como, primeiro o privilégio para imagens, depois esta mudando para os status e agora temos uma alta dos vídeos.

Estas mudanças de algoritmo também foram vistas no Google e também causaram um certo desespero nos profissionais de SEO, mas sabemos que ela serviu para privilegiar o usuário e evitar a manipulação do buscador.

Mudanças focada nos usuários

Muitos dos profissionais acreditam que as plataformas de redes sociais são construídas para servir as marcas (muitas vezes marcas que não investem dinheiro nessa plataforma), porém os serviços são feitos para as pessoas que as utilizam, as marcas entram para se comunicar com essas pessoas, porém é preciso saber se comunicar com elas.

Eu tenho 1 milhão de fãs na minha página, mas menos de 10% de deles está recebendo meus posts

Se eles não estão recebendo suas publicações a culpa pode não ser do algoritmo que filtra o que eles recebem, mas sim do conteúdo que você tem feito para seus fãs, você tem ouvido o que eles estão dizendo (ou clicando) sobre seu conteúdo?

Uma análise dos cliques negativos nas publicações.
Uma análise dos cliques negativos nas publicações.

Através deste relatório posso ver que ela possui 5 respostas negativas, ou seja alguns usuários não gostaram desta publicação, caso esse número fosse relativamente maior seria preciso rever esta linha editorial, um outro ponto que devemos levar em consideração são os comentários e textos acompanhados nos compartilhamentos.

Precisamos escrever histórias que nossos seguidores tenham interesse em ler, que acompanhe o que nossa marca quer comunicar e inserir nossos produtos nesta história, você vai fazer uma publicação com o famoso Hard Sell? Pense que ela vai aparecer na Linha do tempo, um formato que serve para contar histórias.

Seu concorrente não é apenas aquele que vende o mesmo produto que você, mas aquele que compete o mesmo espaço que você.

Lembre desta frase e saiba que o passeio na praia de um amigo do seu seguidor é mais importante do que o produto que você quer vender para ela.

Assessoria de imprensa X Anúncio

Você quer aparecer na televisão, existem duas formas:

  • Criar um anúncio (Pago)
  • Virar notícia (Grátis)

Para nossa marca aparecer na TV através de anúncio, para vendermos diretamente, precisamos pagar para aparecer e assim mostramos o nosso produto, naquela hora que a pessoa sai da frente da TV para fazer alguma coisa ou para para conversar sobre a novela/noticiário.

A outra forma é através de uma notícia, onde através de uma assessoria de imprensa mandamos uma informação que seja relevante para o público do programa, assim eles fazem uma menção ou uma matéria completa sobre a empresa.

Bem parecido com o que esta para vir no Facebook em 2015, não?

Crie histórias relevantes e seus fãs, seguidores e clientes irão até você.

Utilizando comentários para fazer anúncios segmentados no Facebook

Você provavelmente já deve ter feito um post perguntando as preferências do seu público sobre um determinado produto, certo? Mas para o que você usou as respostas deste post? Apenas para gerar engajamento na página? Para conhecer quais são as preferências do seu público? Mas você sabia que pode anunciar especificamente para estas pessoas?

Neste post vou mostrar como fiz para fazer anúncios segmentados utilizando as respostas da enquete da página.

O post de enquete.

enquete para ads

Através deste post comecei a obter respostas de clientes, falando suas preferências através dos comentários, vejam só:

Respostas da Enquete

E como podemos pegar esses dados para fazer anúncios segmentados? Simples, no post passado escrevi sobre como criar um audiência customizada baseada nos visitantes do seu site, lá expliquei que poderíamos que além do pixel de rastreamento poderiamos criar públicos baseados em mailing e IDs do Facebook e para este tipo de anúncio iremos utilizar a opção de IDs.

Como pegar os IDs?

Através da ferramenta da APP Digital que exporta os comentários (e curtidas também) em uma planilha do Excel iremos capturar estes comentários e as IDs desses usuários.

Acesse a ferramenta aqui e clique no “Facebook export comments“, na ferramente ele irá pedir o ID do post no qual você deseja exportar os comentários.

Para pegar o ID deste post é simples, basta clicar no “timestamp” (o horário ou há quanto tempo ele foi publicado) dele, assim você irá abrir ele separadamente da sua “timeline“, note que a URL alterou e deve estar mais ou menos assim: https://www.facebook.com/USERNAME/posts/6542169454687, este número do final é o ID do post, no qual você deve copiar e colar na ferramenta.

ID do post para exportar comentários.

Note que logo abaixo aparece “Download do arquivo em XLS (Excel)“, clicando neste botão você terá o arquivo para ser trabalhado no Excel, ele será parecido com este:

Lista de comentários exportados com IDs de usuários.

Note que na coluna A temos o ID do comentário que não é o que precisamos, na coluna B tem o que é importante para nós, os IDs de usuários. Mas apenas os IDs não nos ajuda a segmentar o anúncio como queremos, para isso precisamos utilizar a coluna D onde estão as respostas. :-)

Esta parte dá um pouco mais de trabalho, precisamos filtrar as respostas e separar os IDs dos usuários (alguns itens conseguimos através do filtro do próprio excel).

Depois de separar os usuários pela suas respostas, precisamos criar um arquivo *.txt ou *.csv, para isto é simples, basta copiar apenas os IDs no bloco de notas (separados em um por linha e apenas o ID), ficando assim o arquivo:

IDs dos usuários em arquivo TXT.

Agora salve este arquivo para subir como uma audiência personalizada no seu Gerenciador de Anúncios.

Subindo sua lista no Facebook

Para subir sua lista de IDs no Facebook, você precisa estar dentro do gerenciador de anúncios e clicar em “Audiences“, no menu da esquerda, após isto irá aparecer sua lista de audiências customizadas.

Audiências no Facebook Ads

Agora você precisa clicar no botão verde “Create Audience” e depois escolher a opção “Custom Audience“, assim criaremos um público personalizado.

Audiencia customizada para site.

Nesta parte selecione a opção “Data File Custom Audience” para que você possa subir o arquivo *.txt com os IDs de usuários que você obteve através do exportador de comentários.

Agora você deve preencher as opções como título, descrição e selecionar a opção “User IDs” e escolher o arquivo dentro do seu computador.Selecionando o arquivo com as IDs dos usuários.

Vale sempre lembrar de ler os termos de uso de públicos personalizados do Facebook.
Pronto, agora basta esperar o Sr. Zuckerberg liberar sua lista e você estará pronto para usar ela em seus anúncios.

Publico personalizado pronto.

Você já tem utilizado esta opção? Quais benefícios você vê?
Deixe nos comentários.

 

Social Widgets powered by AB-WebLog.com.